do nascimento

Este é o relato do nascimento do nosso bebé. Partilho-o porque é importante para mim escrever sobre este momento. Não foi como eu imaginei, mas nem por isso quero esquecer os detalhes, já que se trata do nascimento do meu primeiro bebé! Por isso aqui vai… Estava grávida de quase 34 semanas. sentia-me lindamente, muito feliz e algo cansada. Tinha apenas que trabalhar mais 8 dias até entrar em licença de maternidade e estava mesmo entusiasmada com isso: iria ter tempo suficiente para organizar as coisas do bebé, preparar a casa para a sua chegada, desfrutar da minha barriguinha e aproveitar os nosso últimos dias enquanto casal sem filhos. Após uma consulta de rotina mandaram-me para o hospital para fazer mais uns testes, já que tinha tensão arterial alta e proteína na urina. Fui internada no hospital nesse dia, para ficar sob observação durante 24h. Suspeitavam que eu tivesse desenvolvido pré-eclampsia, uma complicação da gravidez bastante comum mas perigosa, que afecta a saúde da mãe e do bebé. Infelizmente no dia seguinte não tive alta: o médico disse-me que teria que ficar internada até ter o bebé, o que seria mais cedo do que o esperado. Não fiquei nada contente com esta decisão, mas era capaz de fazer tudo pelo bem do bebé. Acabei por ficar no hospital durante 3 semanas antes do bebé nascer e mais uns dias após o parto. Passar tanto tempo no hospital não foi fácil, os dias passavam lentamente e foi aborrecido. Já para não falar que não estava a fazer o que queria: aproveitar as últimas semanas de gravidez e preparar tudo para a chegada do baby. Tentando ver a situação mais pela positiva tive imenso tempo para ler muitos livros, tricotar uma mantinha para o baby, fazer festinhas na barriga e até fazer amigas entre outras mulheres internadas no hospital.

A situação chegou a um ponto em que a minha saúde não estava a melhorar e o médico decidiu induzir o parto. Estava grávida de 36 semanas e 6 dias. As coisas estavam a correr bem, eu estava a aguentar a dor bastante bem e estava sobretudo bem disposta: ia finalmente conhecer o nosso bebé! Que emoção! infelizmente o baby não se estava a dar bem com as contracções, que estava a provocar uma diminuição do batimento do seu coraçaozinho. A equipa médica acabou por me dizer que a nossa melhor opção seria uma cesariana de emergência: não só o ritmo cardíaco do bebé estava a diminuir como o parto não estava a progredir, o que queria dizer que o parto ia demorar muito tempo e o baby provavelmente não ia aguentar. Já esperava que esse fosse o caso por isso lá segui para a sala de operações. Tudo se processou muito rapidamente à minha volta e deram-me uma anestesia… deixei de sentir as contracções. Sem dor, fui invadida por uma súbito pensamento: estava a minutos de ter um bebé!! Foram precisos apenas 3 minutos desde que me começaram a cortar até que o bebé nasceu. Três minutos! E lá estava ele, um bebé, um menino!!! Levaram-no para o lado e durante alguns segundos (seguramente os mais longos da minha vida) não houve choro. Quando ele finalmente chorou eu chorei também: o nosso bebé tinha finalmente chegado, depois de tanto ansiarmos por ele!

Ele nasceu extremamente pequeno, pesava apenas 1.8kg e teve que ser levado para os cuidados intensivos e posto numa incubadoraimediatamente. Tive apenas 20 segundos (foram mesmo só 20 segundos…) com o meu bebé e nem sequer pude pegar-lhe ou abraçá-lo. Foi, de longe, o momento mais difícil desta experiência: aguentei-me bem com a loa estadia no hospital (o meu médico ficou espantado com quão bem eu aceitei tudo) e aprendi a ser paciente e a esperar. Aguentei inúmeros testes, as contracções, a midwife rebentar-me as águas (que dores!!!!) e a cesariana que não queria ter. Aguentei isso tudo. Mas não poder abraçar o meu bebé partiu-me o coração.

O bebé era pequenino e frágil… magrinho e cabeludo, com uma narizinho e uma carrinha adorável. Acabou por ter que ficar no hospital durante 12 dias. Eu fiquei apenas 3 dias após o ter e nunca me vou esquecer do dia em que tive alta. Estava contente por ir finalmente para casa após quase 4 semanas. Mas ter que sair do hospital apenas nós os dois, sem o nosso baby, foi muito duro.

Agora, dois meses depois dele ter nascido, estamos felizes, em casa, os 3 :) O baby está a crescer muito bem e já começou a sorrir! Os tempos foram difíceis, mas tudo está bem agora.

Ah, decidimos chamar Enzo ao nosso filho, um nome invulgar em Portugal. Mas um menino tão especial precisa de um nome especial :)

Obrigada por me lerem!

  • Marta says:

    Muitos beijinhos e Parabéns!
    Tudo acabou bem é o que interessa, o sorriso do Enzo compensará todas essas dores e sentimentos difíceis.
    Sejam muito felizes e com muita saúde.

  • Nes says:

    Obrigada pela partilha :) Mil beijos para todos!

  • Eva says:

    Ai M., como te compreendo. Mas o que interessa é que está tudo bem. O tempo encarrega-se de tornar esses momentos, como episódios ternurentos.

    Obrigada por teres partilhado.

    Bjs

  • Marshmallow says:

    Fico triste por essa experiencia tão negativa, mas agora poderás felizmente recuperar o tempo perdido e mimar o teu bebé, que bem merece. Logo, logo não terás mais descanso a correr atrás dele :)
    Bjinhos

  • Leave a Reply

    « baby Outono »